AESO - Faculdades Integradas Barros Melo

AESO-Barros Melo chama atenção para a consciência negra


Institucional
novembro. 08, 2019

Palestrantes trazem experiência e debatem sobre a situação do negro na sociedade

No Brasil, o penúltimo mês do ano é tipicamente dedicado à consciência negra. Para marcar a data, as Faculdades Integradas Barros Melo (FIBAM) realizam o evento “Por que só em Novembro?”, que, além de celebrar as conquistas e a cultura do povo negro no país, coloca em destaque a necessidade de manter o negro sempre em situação humana e igualitária na sociedade. É dia 11 de novembro, às 9h, no Cineteatro da instituição de ensino.

Durante o encontro, Iyadirê Zidanes, Ronald Santos, Murilo Dayo e PH Reinaux, estudantes e egressos das FIBAM, abordam a temática a partir de trajetórias pessoais, além de pautar lutas e questões que ainda carecem de avanço. 

Confira a biografia dos palestrantes:

PH Reinaux
Estudante de Bacharelado em Comunicação Social, pela AESO-Barros Melo, com especialidade em Fotografia, estagiário do Jornal Brasil de Fato PE e na CUT-PE. Participou da Oficina de Fotografia Documental, com João Ripper; Exposição Multifacetadas, realizada na galeria de São Bento, da AESO Barros Melo; Exposição “Engenho Xixaim. Ocupação, terra, desapropriação e resistência” realizada no salão de entrada da Frente Democrática Revolucionária do Povo Etíope - FDRPE; STILL (registro fotográfico e documental de produção audiovisual) no videoclipe Útero: Direção de Olivia Godoy; Fotografia “Útero” selecionada para o INTERCOM - NE 2019; Direção de Fotografia do curta Passivo - Direção de João Pedro; Assistente de Direção de Fotografia do curta O preço - Direção de Renan Andrade; Ensaio Fotoetnográfico “Ocupar, resistir e produzir”, selecionado para o CIRKULA 2019; Exposição na Biblioteca central da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE.
 
Ronald Santos Cruz
Egresso de Rádio, Tv e Internet da AESO-Barros Melo, violinista, radialista e fotógrafo. Trabalha no Laboratório de audiovisual das FIBAM e desenvolve, desde 2016, o projeto Crespografia, que tem o objetivo de promover o empoderamento de pessoas que têm o cabelo crespo ou cacheado, criando, na população, os sentimentos de respeito e aceitação. Os integrantes realizam ensaios fotográficos gratuitos, em grupo ou individualmente, para mostrar aspectos da afrodescendência dos brasileiros e enfrentar questões de preconceito. O projeto já atendeu mais de 140 pessoas e foi tema de reportagem nas TVs Globo, Jornal e Clube.
 
Murilo Dayo
Olindense de 23 anos e graduando de Comunicação Social - Fotografia na Faculdade AESO-Barros Melo. Se intitula fotógrafo documental/antropológico. Religioso, de matriz africana, Murilo é autor do projeto IYÁ'S, exposto em Abril de 2019 no Museu da Abolição (MAB), selecionado para uma exposição coletiva IV CIRKULA - UFPE, em outubro 2019, e para o II Congresso Discente da Faculdade AESO-Barros Melo, no mesmo período. O artista tem pretensão de dar continuidade ao projeto IYÁ'S com novas questões a serem levantadas a partir dessa temática.
 
Iyadirê Zidanes
Iyádirê Zidanes, 19 anos, estudante de Cinema e Audiovisual na AESO-Barros Melo e de teatro na Escola de Arte João Pernambuco. Iyádirê é atriz, percussionista e poetisa, recentemente finalizou as gravações de "Ninguém precisa saber", projeto aprovado pelo Funcultura e realizado por uma equipe majoritariamente negra, além de ser produtora do multifacetas, projeto de audiovisual que tem como intuito promover debates sobre a afetividade das pessoas negras, relacionando os sentimentos com os elementos da natureza, através de rodas de diálogo  e cinedebate findados em registros fotográficos e depoimentos.

aeso - barros melo -

voltar