AESO - Faculdades Integradas Barros Melo






Fotos: Flora Pimentel

Bate-papo: Conheça a história do ex-aluno das FIBAM premiado no Grammy Latino


Produção Fonográfica
abril. 01, 2019

Diogo Guedes foi engenheiro de som do “Lenine em Trânsito”, álbum ganhador de troféu durante o evento

Ex-aluno de Produção Fonográfica da AESO-Barros Melo, Diogo Guedes decidiu fazer o curso porque sempre foi interessado por produção musical e engenharia de som, entre outras atuações na área. Atualmente, comemora ter alcançado uma das principais conquistas no mercado fonográfico: prêmio Grammy Latino, na categoria melhor álbum de rock ou música alternativa, em língua portuguesa , com o trabalho “Lenine Em Trânsito”

Conheça a trajetória:

AESO- Como decidiu cursar Produção Fonográfica? 

DG- Quando gravei em estúdio com uma banda que montei, em 2002, me interessei por produção musical e engenharia de som. Nesse mesmo ano, tocamos em dois grandes festivais. Me identifiquei e decidi que trabalharia com música, mas, ainda estava na sétima série do ensino fundamental. Anos mais tarde, em 2008, entrei na faculdade de produção fonográfica, quando já gravava demos para amigos e projetos pessoais. 

AESO- E as experiências na área? Como foi para você se inserir no mercado?

DG- Meu estágio na faculdade foi como engenheiro de som no antigo estúdio Peixe Sonoro, no bairro de Peixinhos. Depois de formado, atuei como assistente e técnico de gravação, em alguns estúdios do Recife, fiz várias turnês como guitarrista da Joseph Tourton, técnico de PA e monitor para várias bandas e festas da cidade, além de produzir conjuntos musicais e trilhas sonoras no meu próprio homestudio. Em 2014, mudei para o Rio de Janeiro e fiz os primeiros trabalhos com Lenine, além de ser convidado para realizar turnê atuando como PA e monitor para o cantor carioca Cícero. No ano seguinte, fiz um trabalho como técnico de gravação para trilha no estúdio Toca do Bandido, com a Maria Gadú, e fui convidado pra assumir a sonorização das turnês da cantora, assim como a gravação e mixagem de várias produções dela, parceria que existe até hoje. Já passamos por uns vinte países, gravamos DVD, álbum, trilha pra novela, filme, etc.

AESO- Como surgiu a oportunidade de fazer parte da equipe do álbum "Lenine Em Trânsito"?

DG- O convite foi feito por Bruno Giorgi, que assina a produção e a mixagem do álbum, e pelo próprio Lenine. Eu já havia gravado para o artista em outros projetos e trabalhado como roadie, técnico de PA e de monitor nos shows dele, mas sempre sonhei em gravar um álbum do cantor. 

AESO- Qual foi a sua atuação neste trabalho?

DG-Eles me convidaram para ser o técnico de gravação do álbum, falando que seria uma gravação com filmagem ao vivo num teatro, mas iríamos levar o melhor equipamento possível para captar como num estúdio, timbrando canal por canal com os equipamentos que achávamos mais adequados para cada um. Utilizamos 64 canais de tremendos pré-amplificadores, compressores, equalizadores e conversores digitais, com dois sistemas de backup gravando paralelamente. Esse trabalho foi feito por todos os técnicos envolvidos, de maneira muito colaborativa, foram eles: Bruno Giorgi (produção e mixagem), Henrique Vilhena (PA, 5.1 e tudo mais!), Elton Bozza (eng. assistente), Carlinhos Freitas (masterização), Fred Coelho e equipe da Mac Audio, BKS, além de tantos outros envolvidos na produção e que admiro demais. 

AESO- Qual é a sensação de ser premiado como melhor álbum de rock ou música alternativa em língua portuguesa, no Gammy Latino de 2019?

DG- É surreal! Por mais que acreditasse no trabalho que estava sendo feito ali, uma premiação como essa sempre foi algo muito distante pra mim, algo que nunca nem sonhei! Fazer parte de um trabalho assim é muito gratificante. Me sinto motivado.

AESO- A graduação em Produção Fonográfica contribuiu para que você alcançasse esse patamar profissional?

DG- Sim e, além disso, eu não parei de estudar, nem de frequentar palestras e aulas em áreas que eu tinha curiosidade ou alguma dificuldade. Já fiz cursos de gravação, mixagem, produção musical, alinhamento de sistemas, softwares, mesas de som, equipamentos específicos, etc. 

AESO- Qual a dica que você dá para os que estão ingressando no curso agora?

DG- Que busquem se integrar ao mercado nas suas áreas de interesse desde já, fazendo parcerias, contatos... O curso é um bom passeio por algumas dos ramos de trabalho possíveis e ajuda para que o estudante faça a escolha de em que setor quer se especializar.

aeso - barros melo - alunos no mercado - ex-aluno -

voltar