Professor da UNIAESO e ex-aluno é nomeado Desembargador do TJPE


Direito
março. 26, 2021

Ruy Trezena Patu Júnior, professor da UNIAESO e ex-aluno de Direito, foi nomeado Desembargador do TJPE

16 de março de 2021. Uma terça-feira de sol no Recife. De forma extraordinária, desembargadores, promotores, presidência da OAB/PE e funcionários do Tribunal de Justiça do Estado, se reuniam para formalizar posse decorrente de ato recente. O Pleno daquela Corte de Justiça acabara de nomear, no dia anterior, o mais novo Desembargador do Estado, Ruy Trezena Patu Júnior.

Natural de Sertânia, localizada no Sertão do Moxotó, filho de juiz de comarca e de professora, Patu foi morar, na capital de Pernambuco, apenas aos 14 anos de idade. Algum tempo mais tarde, teve que decidir que carreira seguiria. Optou por Agronomia, a pedido do pai, porém, sem que ele soubesse, prestou o vestibular na Faculdade de Direito de Olinda – FADO, com sede na Rua de São Bento, nº 200, Varadouro, primeira Instituição de Ensino Superior no município. Em 1979, foi aprovado e iniciou o curso no ano seguinte. Casou-se, em 1982, aos 21 anos, teve um filho e, na época, trabalhou em uma rede bancária para pagar as contas. Foram quatro anos de sacrifício até concluir o bacharelado. 

Patu participou da cerimônia de colação de grau sendo um dos oradores da Turma Sobral Pinto. Foi aluno do professor Inácio de Barros Melo, o fundador da FADO,  onde havia estudado. Ainda na faculdade, fez o concurso para Escrivão de Polícia e, no ano seguinte, em 1986, para Delegado, sendo classificado em 1º lugar. A partir dai, as conquistas não pararam: em 1987 fez o concurso para o ingresso na carreira de Juiz de Direito, em Pernambuco, e de Promotor de Justiça, obtendo aprovação em ambos. Em janeiro de 1989, foi nomeado Juiz de Direito e designado para a Comarca de Belém do São Francisco, uma dos municípios integrantes do chamado polígono da maconha; em 1990, foi promovido para a 1ª Vara Cível da Comarca de Petrolina; em 1992, para a Comarca da Capital, onde exerceu diversas funções, como membro do Colégio Recursal, Assessor da Presidência, da Vice-Presidência e da Corregedoria Geral da Justiça; foi Desembargador pelo Tribunal Regional Eleitoral, Supervisor e Coordenador da Escola Superior da Magistratura; membro da Comissão Nacional de Reforma do Poder Judiciário e da Comissão de criação da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENFAM, além de outras funções de relevância na Associação dos Magistrados e na Escola Nacional de Magistrados - ENM, em Brasília.

Em 2002, ingressou, como professor Adjunto II, na Faculdade de Direito de Olinda (FADO) – o atual Centro Universitário AESO - Barros Melo (UNIAESO), onde permanece até os dias atuais. E, em 15 de março, Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, foi promovido, pelo critério de antiguidade, para acesso ao cargo de Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco, ocupando a cadeira 17. É o desembargador número 347, dentro dos quase 200 anos de instalação do antigo Tribunal de Relação.

Designado para a 1ª Turma (Cível) da Câmara Regional do Tribunal de Justiça em Caruaru, e para a 1ª Câmara Técnica do Centro de Inteligência da Justiça Estadual do TJPE, Patu pretende promover um trabalho dedicado ao aperfeiçoamento dos procedimentos, métodos e processos internos para tornar o Poder Judiciário mais célere, eficiente, universal e acessível a todos os jurisdicionados. 

Ao ser questionado sobre qual conselho daria para quem é envolvido com o Direito, ele é taxativo: “Primeiro, saibam onde querem chegar; segundo, estudem muito para chegar onde querem, com fé e obstinação”.

direito - desembargador - TJPE -

voltar